30/12/2012

RUMO À LUZ

"... Cada nova era que se inicia traz nova chance, nova possibilidade. A voz silenciosa do Divino Ser está chamando, está convidando os filhos da Terra a despertar e sentir a presença da Força-que-Age, a sentir o toque das asas dos Maha Devas, a acalmar a revelia de seus corações e eliminar a mente pensante, a ouvir a intuição pura e a viver cada momento com mais amor, mais trabalho, verdade, moral, compaixão, devoção, meditação, com mais consciência. É assim que a paz suprema voltará a reinar sobre a face da Terra.

O entardecer está de viagem. Vai devagar rumo ao infinito.
Eu aceno uma despedida, Ele me responde com um clarão.
Parece absorto numa certeza e desce a curva do mundo com jeito de compaixão.

Eu também estou de viagem, vou devagar rumo à Luz.
A natureza me acena e inclino-me ante sua grandeza.

Vou absorto numa dádiva. Caminho por cima da vida,
Muito além da morte, na força sublime da bem-aventurança.

A noite vem ao meu encontro, e com ela as trevas.
Mas eu continuo neutro no meu círculo de Luz..."

Fonte: O Círculo de Luz
           Sri Maha Krishna Swami

28/12/2012

VAMOS ANDAR PELO INFINITO AFORA

A meditação
Cresceu no silêncio.
Matou o ego
No vácuo do nada.
Matou a ideia
No abismo da mente.
Matou a mente
No vácuo da ideia.
Parei no vazio
Preenchido de nada.

A espiritualidade conduz à felicidade.
Através da meditação a dor é neutralizada.
Siga pelo caminho da autoconscientização
E torne-se Um com a eternidade.

Não procure os prazeres de um paraíso imaginário,
Não tema as adversidades
Porque o que estiver por acontecer
Asim como vem,
Igualmente vai.
Não se torture com sonhos vazios.

De que valem seus lamentos,
Suas penas e austeridades?
De que valem as promessas,
Peregrinações e os rituais vazios,
Se você não conhece
O caminho direto para a autoconscientização?

Procure em você mesmo,
No lado direito do peito,
Pela consciência do Ser-Sem-Forma,
Onde o amor universal desabrocha
Em roseira sem espinhos.

Com seu coração refugiado no Som Sagrado
Medite e devocione,
E obtenha a bem-aventurança
Do estado sem ego.


Fonte: O Círculo de Luz
            Sri Maha Krishna Swami

17/12/2012

O CRISTO DO AMOR DIVINO




















A todo instante nasce Jesus no coração de cada ser,
No lado direito do peito.
Ele é a Luz, a Consciência Absoluta que vem à tona.
Ele é a verdadeira vida, a Força Suprema que se reflete
Em todos os seres do universo.

Ele é o Supremo Ser, que com sua força infinita
Vem iluminar o mundo nesta época de inconsciência espiritual,
Para que todos recobrem a consciência do divino,
Para que todos possam integrar-se na vida do Cristo
De todos os tempos, na luz infinita da Verdade
Suprema, na força absoluta do Ser,
Na força de todos os Mestres.

Ele é o Cristo dos oprimidos, dos que têm fome e
Sede de justiça, dos que sofrem perseguições,
Dos esgotados pelos ciclos de sofrimentos.
O Cristo dos mansos de coração, o Cristo dos sábios
E dos ignorantes. Ele é o Cristo das esperanças,
O Cristo dos simples, dos justos, dos compassivos,
Dos limpos de coração. O Cristo dos pacificadores,
O Cristo da justiça divina.

Ele é o Cristo das crianças, da felicidade perfeita,
Do amor divino, dos Maha Devas.
O Cristo que nasce na estrebaria,
O Cristo da humilde carpintaria,
O Cristo de José e de Maria.

Ele é o Cristo das semeaduras e das colheitas,
O Cristo do Reino Supremo, do caminho direto,
Da intuição pura. O Cristo da meditação iniciática.
Da devoção que enternece, do pão que nutre e sacia.
Ele é o Cristo dos que resplandecem como o Sol,
O Cristo dos apóstolos, das bem-aventuranças
O Cristo dos pescadores, do mar profundo,
O Cristo das ovelhas e dos pastores.

Ele é o Cristo de João Batista, de São Francisco.
O Cristo vivo de Simão Pedro,
O Cristo da Comunidade Perfeita.
O Cristo cósmico, dos Maha Yogues,
O Cristo da Luz, do Caminho,
Da Verdade Suprema.

Fonte: Maha Gita Purusham do Bem-Aventurado
           Sri Maha Krishna Swami

16/12/2012

A RAIZ

Quanto mais se poda uma planta, tanto mais ela cresce. Assim também, quanto mais se procura aniquilar o karma, tanto mais ele aumenta. Deve-se procurar a raiz do karma, que é o ego, e destruí-la.

Fonte: Maha Gita Purusham do Bem-Aventurado
           Sri Maha Krishna Swami

13/12/2012

SOU O AMOR DO UNIVERSO
















Sou o Ser Supremo,
A Luz que flui através
Do Cristo Planetário
E de todos os Mestres.
Sou a Luz, e por mim
Todos chegam à Luz,
À vida na sua real essência.
Sou o Sol que ilumina
Todos os seres do universo.

Sou o amor do universo
Onde brilham os planetas,
As estrelas
E todos os seres da criação.
Sou puro, calmo,
Humilde e generoso.

Sou valente, corajoso e forte,
Conheço o uso de todas as armas,
Destruo o medo.
Não existem inimigos,
Sou amigo de todos os seres,
Sou o guerreiro da Luz.

Sou harmonia, equilíbrio
E a força de todos
Os reinos da natureza.
Sou as matas,
Limpo e curo os seres
Em todos os planos da criação.

Sou o mensageiro da Luz
Deste planeta
E do universo inteiro.
Através de mim
Todos vivem
A vida eterna.

Sou a Verdade e destruo
O ego e o intelecto.
Sou a sabedoria
De todos os tempos,
Do oriente, do meio-oriente
E do universo inteiro,
A única realidade que existe.

Sou o Ser Supremo
Em todos os Mestres,
O canal vivo por onde flui
Toda a Verdade
De todos os seres do universo.
Em mim está a força
Que acolhe e ilumina.


Fonte: Maha Gita purusham do Bem-aventurado
Sri Maha Krishna Swami



08/12/2012

OS PACIFICADORES

Bem-aventurados os pacificadores porque são um com o Cristo Universal. Os verdadeiros pacificadores não são aqueles que só falam de paz, mas nada faz para que ela exista. Nem são os mediadores entre as pessoas ou grupos em discórdia, mas sim aqueles que permanecem firmes nos seus propósitos espirituais e estabelecem em si a harmonia e a paz suprema. Jamais alguém pode pacificar os outros se antes não pacificou a si mesmo. O ego profano é o pior inimigo do homem. Ele é o criador de todo mal e desarmonia. O ego reside na limitação da própria mente pensante. Quem domina o ego profano pela força do Ser Supremo torna-se um pacificador.

Todas as desarmonias externas são provenientes do ego profano incorporado no íntimo das pessoas que a ele estão aliadas. É impossível abolir as desarmonias externa enquanto o homem não eliminar primeiro a causa de todos os males, que está incorporada nele mesmo.O sofrimento persegue todo aquele que fala palavras da mente pensante e do ego profano , assim como a sombra persegue o homem quando ele anda.

Os pacificadores são um com a Verdade Suprema e brilham como o Sol, porque estabeleceram em si, conscientemente, a harmonia e a paz. Essas virtudes são a base fundamental para se estabelecer a paz suprema entre todos os homens. Um pacificador, totalmente consciente da paz, pode, com essa força, envolver tudo num halo de serenidade e bem-estar e de grandiosa benevolência. Nele não há discórdias nem conflitos. Quanto mais os homens se conscientizarem do Ser Supremo, pela compreensão e pelo amor, tanto mais suas vidas se assemelharão à essência divina. O pacificador, que é um com a paz divina, emana de maneira natura, mesmo sem falar, ou sem ser erudito, uma atmosfera de calma e felicidade perfeita que contagia a todos os seres, sem exceção.

O pacificador, que é pleno no conhecimento supremo e consciente da Verdade que ele é, tornou-se invulnerável. Ninguém o pode prejudicar, ofender, empobrecer, enriquecer, nem infligir nele perda de espécie alguma já que aquilo que ele possui não o enriquece, nem a perda o empobrece. A paz do pacificador nasce do pleno conhecimento da Verdade sobre si mesmo. Quem conhece essa Verdade conhece o amor supremo. É livre de todo ódio, tristeza, senso de perda, frustração e é livre da poderosa ilusão do ego profano.


Fonte: SER
Sri Maha Krishna Swami

30/11/2012

ESTADO NATURAL DE MEDITAÇÃO




Se alguém despreza a sabedoria suprema, vive na ignorância espiritual e, portanto, ser-lhe-á impossível conscientizar-se de sua origem divina. E para que serve todo conhecimento exterior se o homem desconhece a si próprio? Ele pode aprender como se processam as atividades mentais, como é o funcionamento do corpo e dos órgãos dos sentidos; pode aprofundar-se nos estudos de sua própria personalidade, conhecendo seus complexos, suas qualidades, suas limitações. Porém, se permanece inconsciente da sua Essência Divina, de nada adiante intitular-se sábio, pois estará vivendo na total limitação da manifestação temporária.

Aquele que se eleva pela Força Suprema permanece livre de qualquer sentimento de dualidade entre ele e a Verdade Absoluta. A ação praticada com o conhecimento supremo é a melhor maneira de ele dirigir-se rapidamente para longe das armadilhas do mundo profano. Através das técnicas da meditação iniciática e da Param Bhakti evita o demasiado falar porque sabe que as palavras são formas de pensamentos. Não possui ideia de conseguir poder, fama, autoridade, pois é livre da ambição. Renuncia também à sua personalidade, ao sentimentalismo, ao amor próprio, à história pessoal e vive acima de qualquer interesse das manifestações humanas. Está sempre voltado para a Verdade Suprema e por isso permanece pleno na harmonia divina, na felicidade perfeita.


Fonte: O Consolador
Sri Maha Krishna Swami.

03/11/2012

KUNDALINI, A FORÇA VIVIFICADORA

Muitas pessoas baseiam o desenvolvimento espiritual no despertar de Kundalini pela prática requintada do sexo. Isso ocorre porque a primeira ideia que surge é a libertação pelo prazer e não pela renúncia. Cria-se então uma filosofia que traz tal teoria. São literaturas que divulgam a ignorância, não a consciência do divino. É um modo primitivo de entendimento e também uma maneira de manter-se apegado ao prazer. Porém, o caminho verdadeiro é o contrário a isso. O homem deve desapegar-se dessas ideias estranhas e recolher-se no divino. Agir de outra forma é querer ir por atalhos. Não se pode ir ao divino por nenhum atalho. Vai-se direto. A libertação pelo prazer não existe. Budha, Krishna, Shankaraya, Jesus, Ramana não ensinam isso. Nenhum dos Grandes Mestres ensinou isso. Se eles não ensinaram, isso não é verdade; não há possibilidade de conscientização espiritual por esses métodos. 

A energia Kundalini, que muitos afirmam ficar na base da coluna, não está certamente ali. Imaginam que Kundalini se localiza nessa região porque não conseguem entender de outra maneira. Aparecem muitas escolas, filosofias, ciências tântricas, seitas secretas tentando explicar a energia Kundalini. Confundi-la com força sexual é uma forma primitiva de entender a força iniciática, é um raciocino bastante infantil, é o primeiro que ocorreu e é fácil de ser explicado, mas não é exatamente assim que os fenômenos se processam. A necessidade sexual não é Kundalini. Essa necessidade é uma secreção de glândulas para outros fins, fazendo parte da vida física, temporária no universo manifestado. Não se faz mais necessária nenhuma teoria acerca da yoga tântrica ou Kundalini. Se a pessoa meditar e devocionar orientada por um Mestre essa energia chamada Kundalini se vivificará nela. 

Para melhor esclarecer esse tema podemos relacionar três forças manifestadas que são: Fohat, Kundalii e Prana. Elas se destacam entre as infinidades de forças cósmicas que são irradiadas pelo Sol, fertilizando e interpenetrando as próprias energias do mundo físico que compõem o sistema planetário e que são as mais importantes e úteis ao conhecimento da humanidade atual.

Fohat é conhecida também por eletricidade e pode transformar-se em calor, magnetismo, luz e força de movimento. Kundalini é a energia que vivifica. É uma energia solar que se localiza no centro da Terra, num núcleo muito coeso, e se desprende violentamente para periferia, ativando os seres em um impulso dinâmico de alto valor transformativo e criativo, dando vida a todas as coisas: o mar se movimente, os seres nascem, morrem; acontecem todos os processos de vida. É Kundalini que emana toda essa poderosa força. Quando ela é excessiva, os vulcões entram em erupções. É como a chaminé de uma fábrica, um escape de calor. Assim como Kundalini atua na Terra, atua também no homem. É o fogo do universo que mantém a vida, mas essa vida que o homem compreende não tem nada a ver com realização espiritual ou consciência do divino. Kundalini é uma força manifestada, e fogo não pode ser a realização do divino. O maior centro de força do homem está no plexo solar. É nessa ragião que se recebe alimentação da força Kundalini. Ela entra pelas plantas dos pés, pelos centros nervosos, meridianos que estão nos pés para essa finalidade, isto é, para absorver a energia, e ela vai se localizar na região do plexo solar. Tanto é que quando a pessoa fica desarmonizada nessa região, bloqueiam-se todas as energias e assim ela fica confusa, tensa, com grandes problemas, até que essa força venha a se harmonizar novamente. 

Não existe nenhuma relação entre o despertar de Kundalini e a consciência do divino. O conceito comum é que a pessoa torna-se consciente do divino só quando Kundalini for plenamente despertada nela, porém não é bem assim. Quando se medita e devociona aparece nos centros etéricos (chacras) força vivificadora de Kundalini, que os pseudo-yogues dizem ser uma energia divina, criando assim ideias confusas e folclóricas a respeito disso. Mas nada há de divino nessa energia. Ela é apenas uma manifestação. Kundalini é uma energia que está presente em todos os corpos celestes rodopiantes no espaço, em todas as moléculas e átomos. Porém ela é muito mais forte nos centros manifestados, assim como planetas, estrelas. Os sois também são logos manifestadores. Eles manifestam a vida através de várias expressões da energia Kundalini. Ela é manifestada para movimentar a própria manifestação, é um veículo de vida, de força central, motriz.

Prana é uma energia sutil, de vitalidade, em potencial, e é responsável por todas as manifestações da vida no universo. O prana está em todos os fenômenos do mundo exterior, da matéria, assim como também nutri a vida do mundo espiritual, mental, astral e etérico. Prana é a vida manifestada em cada plano de atividade. É o sopro vital. Na matéria, é a energia que edifica e coordena as moléculas físicas, ajudando-as de modo a compor as formas dos reinos mineral, vegetal e animal. Prana é uma energia de grande poder e amplitude cósmica, que se manifesta em todos os planos da vida. Sua falta implicaria a desintegração e o desaparecimento instantâneo do universo exterior, que é usado como veículo de conscientização do divino. Os diferentes tipos de prana são a energia coesiva do universo. Sem a força do prana não haveria existência, não haveria manifestação, não haveria logos manifestadores.

Essas três manifestações energéticas, Fohat, Kundalini e Prana, irradiadas pelo Sol, que é o centro principal de vida na Terra, jamais se transforma noutra forma de energia, pois tais elementos são tipos específicos, à parte, que atendem exclusivamente  às necessidades e funções mencionadas. A conscientização espiritual no homem não depende de Kundalini. O homem já é o Ser Supremo. O Ser é o criador da energia Kundalini. O que o homem precisa fazer é conscientizar-se de que ele é divino em essência através da devoção e meditação iniciáticas.


Fonte: SER
Sri Maha Krishna Swami

28/10/2012

ENTREGA AO DEVER SUPREMO

Nunca se deve procurar
Compreender 
A estupidez da maldade.
É mais sábio evitá-la.

O convite constante do Homem de Aquário é para que pratiquemos todo o bem que podermos, de todos os modos que quisermos, em todo o lugar e no máximo de tempo que pudermos, porém de maneira desapegada, porque 

Se lhe agrada fazer o bem
E extasia-se com o fruto da sua ação,
A sua vontade natural se desfaz.
Se se deleita no que é correto,
Acabará tornando-se incorreto, inútil.
O amor pelo conhecimento do Eterno
Torna o homem virtuoso
E pode gerar planos habilidosos
Para ajudar a comunidade.
Mas o interesse movido pelo saber 
Gera perigosas críticas aos próximos.
Fazer o bem
Durante todos os dias de sua vida
Não é suficiente. 
Fazer o mal por um dia 
É demais.

O grande conselho dos Mestres é fazer todo o bem e evitar todo o mal. Mesmo assim, quando vem o mal, é preciso desejar todo o bem a quem expressou esse mal, e imediatamente nos neutralizarmos e não ficarmos com ele. Quem fica com o mal é porque é apegado ao sofrimento. Dessa forma, soma-o à sua guerra interna e seu sofrimento é ampliado muitas vezes. Porém, quando o homem rechaça o mal pela sagrada virtude da neutralidade, nada de ruim pode atingi-lo. Além disso, não se deve ficar com o mal de ninguém. Cada um deve eliminar seu próprio mal.


Fonte: O Homem de Aquário
Sri Maha Krishna Swami.

21/10/2012

PERCEPÇÃO

Já percebeu

A ignorância dos eruditos,
A pobreza dos ricos,
A tristeza dos gozadores,
A covardia dos valentes,
A fraqueza dos violentos,
A dúvida dos sacerdotes,
A insegurança dos ditadores,
A tragédia daqueles
Que omitem a Verdade,
As blasfêmias das religiões,
A desgraça dos corruptos,
As injustiças
Da justiça dos homens,
A ausência de Luz
Da maldita geração 
Do ego profano,
A incoerência dos que
Procuram a paz
Provocando a guerra?



Fonte: Maha Gita purusham do Bem-aventurado
Shri Maha Krishna Swami

12/10/2012

PALAVRAS DE SABEDORIA






Não se pode tirar água limpa de um poço no qual incessantemente despejam-se lixo e lama; não podem as águas de uma lagoa estarem calmas e serenas se a todo momento são agitadas; não pode o homem ter sossego se o seu interior está desassossegado; não pode o homem querer amor se o seu interior está cheio de ódio e de rancor; não pode o homem querer a vida se o seu interior está constantemente esperando a morte.



Sri Maha Krishna Swami

06/10/2012

UNIDADE

O Ser Supremo não tem credo,
Nem religião, nem país.
Não tem casta nem cor.
Não possui forma ou espaço
E de sua vontade
Surge toda a criação.

Se o Sol não tem casta nem credo,
Como podem tê-los seus raios?
Se o oceano não tem casta nem credo,
Como podem tê-los suas ondas?
Se os Grandes Mestres não possuem credo,
Nem religião, nem país,
Por que eu adotaria tais divisões
Se sou Um com o Ser Supremo?

O Ser Supremo manifestou os homens
E não criou seitas nem credos.
O homem é o responsável
 Por essa abominável ideia
De dividir-se em pequenos círculos
De castas, religiões e países,
E dessa maneira semeia a luta,
A discórdia e a separação.

Quando a morte tocar o ombro,
Ninguém terá interesse em perguntar
A que classe social pertence.
Nem o corpo poderá responder,
Pois ele será jogado ao fogo ou enterrado.
E junto com ele irão
Todas as castas e credos.

No Ser Supremo
Não há ninguém para conferir
A que ordem social
Ou religião se pertence.
Deve-se apenas meditar
E devocionar o Som Divino de Hari
Até conscientizar a Verdade Suprema.

 Toda carne é a mesma,
 Seja ela de um homem
Ou de um animal.
O sangue tem sempre a mesma cor,
Seja ele do homem ou do animal.

O Ser Supremo manifestou o universo
Repleto de diferentes formas.
Porém a essência é a mesma.
Como estão se pode matar
Ou maltratar qualquer forma de vida?

Quando olhar as formas da manifestação,
Enxergue-as como seu semelhante,
Reconheça a força que lhe dá vida
E sinta o pulsar da criação.

Fonte: O Círculo de Luz
Sri Maha Krishna Swami <

08/09/2012

O CAMINHO DA VIDA




Sinto a Luz do Ser
Emanando e penetrando em nós
Para despertar o poder da criação.

Sinto tudo:
A vida, o afeto,
A flor e o sol,
O vôo das abelhas,
O aroma das matas,
A chuva escorrendo
No rosto e no peito,
A essência do som,
O silêncio dos céus.

Sinto
A devoção sublimada, sentida,
O mantra explodindo,
Emanando amor,
Alegria, afeição, doçura,
E por ele eu transcendo
O mundo ilusório.

Sinto a força do bem
Engolindo o mal.
E o beijo do vento
Me faz silenciar.

Sinto o silêncio
Nas flores e nas folhas,
Nos olhos amados,
Nos frutos dourados,
Nas linhas suaves
De um rosto escupido
Com traços de paz.


Fonte: O Círculo de Luz
Sri Maha Krishna Swami

26/08/2012

O CAMINHO DA VIDA



O Ser Supremo é eterno e auto-refulgente,
É o único que dá vida ao universo inteiro,
É imortal, jamais nasce ou morre,
É o único senhor de tudo.
Ele está em todas as partes,
É Purushatam, o criador incriado,
A Verdade Primordial,
A Verdade através dos séculos.
Assim é agora e assim será
Por toda a eternidade.

Eu sei que o Ser Divino é
Todo amor e compaixão.
E se você meditar e devocionar
Terá a consciência inigualável
Da essência do amor
Você será capaz de ver as pessoas
Tal como elas são realmente,
E não através da mente e do ego,
Que sempre distorcem e omitem
A realidade de tudo.
Você verá tudo com os olhos da Verdade e
Não será mais iludido.
Eu sei que dos seus lábios
Sairão louvores e palavras
Plenas de amor.
Aí então, juntos levantaremos
Os braços com as mãos em gesto
De devoção, evocando o som
Divino da Param Bhakti.
Caminharemos sempre pela senda da virtude.

Que os nossos corações, transbordando compaixão,
não instiguem vingança aos desafetos das trevas. Que
possamos sentir a Verdade para nos unirmos e nos integrarmos
conscientes no Ser auto-refulgente e todo-penetrante.


Fonte: O Círculo de Luz
Sri Maha Krishna Swami

18/08/2012

OS INDESEJÁVEIS LAÇOS DA AMIZADE

Quando alguém deseja praticar alguma ação e não quer assumir sozinho as consequências, procura sempre envolver outros em suas tramas emocionais. A pessoa sabe que aquela atitude é errada, mas como está inconsciente da Verdade Suprema, e também não quer assumir a mentira do ego profano, arma-se de cinismo, vaidade, ódio e tantas expressões do ego e da mente pensante.

Aqueles que ainda são levados pelos apegos não deve argumentar, convencer os outros de que tal atitude está correta. É preciso ser responsável por cada ação praticada. É bom ser um exemplo de perfeição, de possibilidade de conscientização do divino. Não se pode também ser responsável pelas ações alheias. Bastam a cada um suas próprias ações, suas próprias responsabilidades. Quando se convence a outros que tenham determinada atitude, adquire-se um duplo, karma: um pela própria ação, e outro por conduzir a pessoa por caminhos opostos ao Divino Ser. Cada um deve assumir suas faltas sozinho.


Fonte: Emancipação- Sutra Maha Devi
Sri Maha Krishna Swami

11/08/2012

HONRAS - CUIDADO!

O apego à riqueza
E às honras humanas
Conduzem à arrogância
E com certeza
Todo o mal virá a seguir.

Os pensamentos de honras,
Riqueza e pobreza
A nada conduzem
Senão ao afastamento
Da Verdade.

Sábio é aquele que,
Quando estas coisas
Começam a espreitá-lo,
Ele as rejeita.

Pobre daqueles que
Se deixam levar
Pelo brilho ilusório
Das recompensas
Do mundo profano,
Pois estes estarão
Afastados por ciclos imensos
Das virtudes supremas.



Fonte: Maha Gita purusham do Bem-aventurado
Sri Maha Krishna Swami

03/08/2012

A PRESENÇA DOS MESTRES NA TERRA



É difícil para a humanidade conhecer as causas e efeitos dos acontecimentos e livrar-se do sofrimento no qual se envolveu. Não sabe como sair dessa situação, e por isso uma grande confusão se insta-la entre os homens. E é nesse momento de caos que os Mestres se aproximam das pessoas para ajuda-las a encontrar o caminho da autolibertação. Quando eles vêm é porque o mundo está em desgraça, caso contrário, não viriam. O fato de virem muitos Mestres à Terra é sinal de decadência total.

Os Mestres trazem aos homens toda compaixão, ternura, serenidade e amor supremo, ensinando-lhes o caminho da autolibertação. Eles dedicam todos os segundos de suas vidas a ajudar as pessoas para que saiam da imundície que aparentemente prevalece sobre elas. Se um vegetal como o lótus ou a vitória-régia, que nascem no lodo, emergem rumo à luz, tanto mais os homens podem fazê-lo, pois tem a chance de conscientizar-se do estado natural de ser. Em lugares íngremes, inóspitos, lugares onde aparentemente não há vida, nasce uma planta, uma flor. Da mesma forma, há pessoas que, apesar desta época de densas trevas espirituais, querem nascer para a divina conscientização.

Os Mestres sempre nos convidam a entrarmos no caminho espiritual e realizarmos o grande trabalho de desprofanação da Verdade Suprema em nós mesmos. Esse trabalho é um grande banquete. Na cabeceira da mesa deste banquete está sentado o Cristo, que nos orienta a cada passo. Ele nos dá muita coragem e confiança para seguirmos sempre em frente na jornada espiritual.

Todo Mestre ensina aos homens como saírem da inconsciência espiritual. Não é o Mestre que salva a pessoa, mas ele possui as técnicas de autoconscientização. Aquilo que o Mestre ensina é o que ele vive. Porém, o conhecimento dessas técnicas não é tudo, pois ele deverá ser, posteriormente, abandonado para que a consciência de ser possa torna-se realidade na pessoa.

A afirmação “sou o Ser Supremo” de nada vale ao homem sem ajuda do Mestre que o guia até a realidade de ser, da mesma forma que ninguém se converte num rei dizendo meramente “sou rei”. Até mesmo o estudo das escrituras, quando são feitos a nível de informação, são inúteis. Mas para quem as utiliza como guia de autoconscientização, elas tornam-se a força que conduz ao Mestre. Só através dele é que se pode conhecer e sentir o Ser em todo seu esplendor.

Um tesouro escondido embaixo da terra jamais será obtido apenas por se ouvir falar dele, mas prestando atenção às referências que indicam onde ele está localizado. Logo, cavando e recolhendo a terra que o esconde, pode-se extraí-lo para beneficiar-se dele. De igual modo, o discípulo deve ouvir do Mestre a respeito da Verdade Absoluta, e assim poderá experimentar essa Verdade através da meditação constante, até ela torna-se um estado natural nele. Quem se conscientiza da Verdade conhece sua unidade com ela.

A Verdade Absoluta jamais pode ser conscientizada através de meras argumentações. Portanto o discípulo deve fazer todo o esforço possível para chegar ao Mestre, para eliminar a escravidão da existência individual e obter a autoconscientização. Só o Sat Guru Deva, o Mestre, que é conhecedor da realidade eterna, pode levar o discípulo picado pela serpente da ignorância a experimentar a Verdade do Ser Divino. Assim como uma doença não é eliminada de uma pessoa sem que ela ingira o remédio adequado, de igual modo também o estado de escravidão da inconsciência não pode ser eliminado sem ajuda do Sat Guru, que é um com o Ser Divino.

Os discípulos que se refugiam nos ensinamentos do Mestre tornam-se invulneráveis ao ardente vento do samsara. A mente pensante se aquieta perante a força dos ensinamentos do Sat Guru Deva. Dessa forma, a Força que Age toca profundamente seus corações doando-lhes segurança e proteção. Daí em diante nada deve temer. Nenhum dano lhes acontecerá, pois receberam a sagrada iniciação, o meio simples e poderoso de meditar e devocionar o som sagrado que procede de Hari – a força sustentadora, obtendo, assim, a bem-aventurança. Por essa prática espiritual os sábios que renunciaram ao mundo do ego profano conscientizaram-se da verdade de ser.

O Mestre é capaz de destruir a escravidão daqueles que a ele se entregam. Ele é a essência da sabedoria. Seu conhecimento uniabrangente é puro como o cristal, porque já transcedeu os desejos, inclusive os divinos. Ele é eternamente misericordioso. Assim sendo, protege os seres que se unem a ele. Sua grande virtude é a neutralidade. Sua paz é a paz suprema. É bom para aqueles que são bons. Para os que não são bons, é eternamente bondoso e de amor sem fim. Para os que se acreditam seus inimigos é tolerante e pede tudo de bom para eles. Com os inconscientes da Verdade Suprema é compassivo e os conduz para a conscientização do Divino Ser.

Só podemos conscientizar-nos do Ser Supremo se estivermos na companhia do Mestre e seguirmos sinceramente seus ensinamentos. Ele é que nos ensina como eliminar a sensação de ignorância espiritual. Ele é necessário para que os sagrados ensinamentos puros e de salvação prevaleçam na Terra.

É preciso constantemente verificarmos se estamos seguindo os ensinamentos do Mestre, se estamos amando o divino sobre todas as coisas e se realmente confiamos no Mestre que nos guia. Devemos abrir nossos corações, abandonar as aparentes dores pessoais ou apegos que pensamos existir. Não se pode dar maior importância aos afazeres pessoais que à Verdade. “Busque o divino em primeiro lugar, e tudo o mais lhe será dado por acréscimo.”

O Mestre aceita de bom grado tanto o bom como o mau discípulo. O mau discípulo é aquele que insiste em viver as expressões do ego e da mente pensante, desejando aquilo que o atrai para o mundo profano. Ele desobedece às leis divinas para obedecer ao ego e assim afunda-se na inconsciência espiritual. Entretanto, se obedecer aos ensinamentos, estará obedecendo ao Ser Supremo que ele é, em essência.

É preciso praticar os ensinamentos do Mestre. Ouvi-los e leva-los a nível de vivência são duas coisas bastante diferentes. A obediência, o Sharanam, o estar aos Pés da Força Suprema é um dos caminhos considerados pelos grandes Mestres. Francisco de Assis realizou sua missão porque seguia plenamente os ensinamentos do Cristo. O próprio Cristo afirma que consegui realizar sua missão porque obedecia à vontade do Pai que o enviou. Quando se é obediente aos ensinamentos dos Mestres, a autoconscientização é automática.

O Mestre não vem acusar os homens de estarem com grande problema de inconsciência espiritual. Ele diz que isso acontece, mas também ensina como livrar-se dessa situação. Através da intuição pura o Mestre transmite seus ensinamentos. A intuição divina, a lembrança de ser, a verdade de ser é que afirma a possibilidade de autolibertação. A todo instante o Mestre indica o caminho a seguir, através de ensinamentos falados, escritos e também silenciosamente, através da Sagrada Upadesa, a força silenciosa que age enquanto a pessoa trabalha, medita, devociona. É evidente que a Upadesa só não pode ser transmitida quando a pessoa está desarmonizada, pois ela mesma se trava, fechando-se à possibilidade de receber essa força espiritual
Muitos se julgam auto-sufucientes e rejeitam os sagrados ensinamentos, achando que os Grandes Mestres nada mais podem fazer por eles. Freqüentemente são incapazes de se despojarem de teorias e crenças, daquilo que chamam de “ponto de vista”, e quando vão ao Mestre tratam de dar-lhe um nome como yogue, santo, Mahatma, ou qualquer outro rótulo que se adapte aos seus gostos pessoais. O pensamento dessas pessoas é sempre de comparação com outros Mestres, dos quais ouviram falar ou leram a respeito. Assim, ao invés de aproveitarem a presença divina do Mestre, dispersam-se em pensamentos inúteis que as impedem de se beneficiarem. “Têm olhos e não vêem, têm ouvidos e não ouvem.”

Nada ajuda tanto a pessoa na presença do Mestre como a quietude da mente. Assim se abrem as portas de seu coração para que a força do Ser seja sentida. Muitas vezes, a hipocrisia, ainda que de forma sutil, esconde-se atrás das ações que carecem de naturalidade. Nada disso pode existir perante o Mestre. Ele conhece e entende tudo o que acontece em cada um que está diante dele. O Mestre nunca julga, e sua atitude compassiva jamais varia, ainda que o ego e todas as imperfeições sejam claramente vistos por ele. Esse é justamente o motivo de sua influência, de sua maneira de ajudar, com a máxima eficácia, as pessoas a se libertarem da mente pensante, que é a origem dos defeitos e fraquezas.

A força que vem através dos Mestres é o Ser. É a mesma força que esteve em Krishna, em Moisés, em Ramana, em Rama, e em muitos outros. Ela também é o Messias, o Cristo. Muitos perguntavam a Jesus: “Como você pode falar de Abraão, se não o conheceu?” E Jesus lhe respondia: Eu era antes dele. Sou antes, durante e após todas as coisas”.

Muitas pessoas afirmam: “Eu tenho Jesus em casa. Tenho até um Jesus pendurado no pescoço. Tenho em alguma gaveta”. Outros dizem: “Eu tenho Budha”. Outros ainda: “Acredito em Deus”. Mas nenhum desses afirma que é Jesus, que é Budha, que é Deus, ou que é a Luz. Todos os têm em algum lugar. Inclusive podem sair e deixa-los em casa. Porém, quando se medita e devociona, não se pode deixar Cristo em casa, não se pode guardá-lo na gaveta. É preciso abandonar a idéia de se ter um Cristo em qualquer lugar do universo. Não temos o Cristo, nós o somos.

Falsos sadhus ficam meditando em cavernas, em montanhas, em bosques e em nada ajudam os que necessitam aprender a meditar. De tempos em tempos vêm para o meio do povo, ganham alguma meditação, são admirados e vão embora. Jesus, Ramana, Budha e muitos Grandes Mestres ensinaram a Verdade a nível de vivência, não a nível de palavras apenas, não a nível de festivais ocos em beira de rios para atrair turistas. Realmente útil é o que Jesus, o Cristo, fez. Indicou aos homens o caminho espiritual. Deixou-se crucificar, não para nos salvar, como muitos fazem acreditar, mas sim para salvar o seu próprio trabalho, a sua própria missão, da qual devemos tomar exemplo e segui-la. Não se pode pensar como aqueles que imaginam que Jesus morreu para nos levar os pecados, como um bode expiatório.

O Mestre não omite a Verdade e diz o que deve ser dito. Podem-se pesquisar as sagradas escrituras, como os “Evangelhos”, e notar que ali, embora os ensinamentos tenham sido alterados, está a Verdade ensinada por Jesus. Não podem ser apagados os ensinamentos de Bhagavan Sri Ramana, o “Bhagavad Gita”, de Krishna, o “Ramayana” que, embora um tanto folclórico, mostra ensinamentos de Rama.

O verdadeiro Mestre não se esconde. Ele mostra-se aos homens e tenta ajudá-los, dedicando toda a sua vida para ajudar seu semelhante. Quem se esconde numa caverna, ou onde quer que seja, ainda possui uma falha em sua autoconscientização e não tem tanta força quanto imagina. Bhagavan Sri Ramana permaneceu durante certo período em uma caverna até descobrir que ele era consciência, o Ser. A partir desse momento, começou a ensinar o caminho direto a todos.

O Mestre não se envolve com o que se passa no mundo. Da mesma forma como ele vem à Terra, ele vai, e com nada se contamina. A vinda do Mestre é para dar um exemplo de que, mesmo nesta época de densas trevas espirituais, há possibilidade de se estar livre dos sofrimentos. Ele não se preocupa se o mundo está mal ou se está bem, porém seus ensinamentos são justos, porque provêm da intuição pura, e não da mente pensante, do corpo ou dos sentidos. Quando transmite os ensinamentos, permanece livre de qualquer possibilidade de intromissão mental, mesmo de outras pessoas, nem é influenciado por alguma escritura que tenha lido. Ele fica vazio de si mesmo e expressa os sagrados ensinamentos para a conscientização espiritual. O Mestre nunca faz exatamente aquilo que se espera dele, pois quem espera algo de alguém é o ego. O Mestre age guiado pela intuição pura.

O Mestre é inspirado pelo amor supremo. Essa virtude divina é a força motriz para a missão espiritual na Terra. Ele é um com a força da sustentação, e os discípulos são um com o Mestre. Se o discípulo obedece ao Mestre, obedece também a essa força divina, que estará presente em todos seus atos, e transformar-se-á em compaixão. Compaixão é o princípio sagrado de todos os Budhas, os quais agem em prol daqueles que necessitam de ajuda no universo inteiro, não importando a forma de vida que tenham ou o lugar em que se encontrem. Assim é o voto daquele que ama seu semelhante como a si mesmo.

Siga todos os ensinamentos do Mestre. Sinta-se um com ele. A unidade com o Mestre é a unidade com o Ser sem forma. Não se pode personificar o Mestre. Ele é o Ser. Jesus dizia: “Não faço a minha vontade, senão a vontade de meu Pai. Meu pai e eu somos um. O Pai ama a mim e, portanto, se você também ama a mim, meu Pai, que está em mim, ama você”.




Fonte: O Homem de Aquário
Sri Maha Krishna Swami

28/07/2012

SINTONIZAÇÃO E HARMONIA

Devemos serenar o corpo físico, os sentidos e entregar ao falador silencioso, no lado direito do peito, todas as nossas expressões grotescas e temporárias para nos sintonizarmos com a Eterna Consciência do Cosmo e a Sublime Pulsação.

Devemos sintonizar o físico, a mente e os sentidos com a pulsação constante da Natureza para entrarmos em harmonia com todas as coisas da criação mesmo que elas sejam temporárias. Devemos estar em harmonia com todas as coisas que nos rodeiam, pois todas elas, animadas ou inanimadas, são semelhantes a nós.

A Força que faz crescer a árvore de tronco sadio, grosso, forte, que faz com que ela floresça e dê fruto é a mesma que nos movimenta. O homem causou desequilíbrio total. Desarmonizou tudo e não consegue viver em harmonia com as coisas que rodeiam e muito menos com seus semelhantes, quer dizer, da mesma espécie, porque todas as coisas são semelhantes a nós. Se é a mesma Força que movimenta todas as coisas, então não há diferença em nenhum dos planos de evolução em qualquer reino da natureza.

Atacar qualquer ser vegetal, animal, ou mineral é atacar nós mesmos. Eles também são uma Força. Se entrarmos em harmonia, eles nos ajudam na evolução, mas se nós atacarmos essas forças da natureza, elas se voltarão contra nós.

O homem poderia viver simples e calmo, sem alterar essas coisas. Então ele seria feliz, porque estaria em harmonia total. Ele vê uma mata verdejante e logo a ataca, põe fogo, corta-a, expulsando os filhos das matas. Os animais e as aves ficam sem abrigo. Surge, então, o desequilíbrio.




Fonte: Verdade Suprema
Sri Maha Krishna Swami

13/07/2012

BUDDHAN SARANAM GACCHAMI




O ensinamento do Budha baseia-se na descoberta de que todo o sofrimento humano está relacionado com a dor causada pelos ciclos imensos de nascimentos e mortes. É possível anular-se esse ciclo de nascimentos e escapar aos sofrimentos da vida mundana quando o homem anular em si próprio toda influência que o ego e a mente exercem sobre ele. A primeira causa do sofrimento nasce do desejo de coisas transitórias; a segunda causa consiste na falta de domínio que o homem tem de si mesmo; e a terceira causa é a ignorância que ele tem de sua própria essência. Mas há o caminho que conduz a serenidade, ao autoconhecimento e à perfeita paz. Ele caracteriza-se pela extinção da sensação de individualidade no homem, que acredita possuir uma personalidade, um ego, uma mente. Por meio do ego e da mente vive-se no sofrimento, mas aniquilando-os, vive-se no estado de bem-aventurança do Ser Eterno, porque já o somos em essência. Assim não se deve seguir esse caminho de sofrimentos para não se viver na ociosidade, na lei do mal, no falso ensinamento. O homem que segue ensinamentos falsos alimenta motivos para sua própria destruição. Por isso, deve-se seguir a Lei Suprema para se viver na perfeição, e quem transgride essa lei, não há mal que não consiga praticar.


Fonte: Verdade Suprema
Sri Maha Krishna Swami

30/06/2012

O EGO PROFANO

De nada adiante qualquer forma de meditação se o adepto não for iniciado e orientado pelo Mestre que é UM com o Ser. Não se deve deixar atrair por este ou aquele mestre, ou por este ou aquele círculo, pois, uma vez que recebeu prova de que está em contato com o Ser Supremo, este iluminará o seu caminho e, seguindo-o, não mais poderá errar.

A realidade não sofre limitações. É o ego que a identifica falsamente com corpos ou invólucros, assim provocando a aparência de limitação, mas as limitações existem apenas no ego. A força do discípulo consiste em não estar sujeito a ser distraído pela multiplicidade de pensamentos que usualmente surge e lhe dissipa as energias. É inquestionável que apenas um discípulo forte pode alcançar o objetivo, nunca um discípulo fraco e desequilibrado.

Não se pode compreender o Ser através da mente, pois a faculdade mental que compreende é o intelecto. O intelecto não pode compreender a perfeita harmonia porque nunca pode chegar a senti-la. Se o fizesse, deixaria de existir. O estado natural, o Ser Supremo, está além do intelecto. A experiência direta é o único meio de senti-lo. Intelectualmente podemos conhecer apenas o que o Ser não é, jamais o que ele realmente é.

A utilidade do intelecto é limitada por ser a ignorância a sua origem. Aos que se contentam em permanecer sujeitos a ela, o intelecto lhe serve muito bem em tudo o que fizerem com ele, pois é excelente instrumento ao serviço da ignorância.



Fonte: Verdade Suprema
Sri Maha Krishna Swami

23/06/2012

JAMAIS ANALISE O MESTRE

A ignorância é como uma
Vasilha fechada sem ar;
Aqueles que estão dentro
Não podem meditar
Nem devocionar o Som Divino.

A semente da sabedoria
Não pode germinar e crescer
No espaço sem ar.
Para viver e escolher experiência,
Um discípulo precisa de espaço
e profundidade
E um Mestre que o guie
No caminho direto da autoconscientização.
Jamis procure algo no reino da ilusão,
Antes, erga-se acima dela,
Busque o Eterno e Imutável Ser.
Sempre evite as falsas sugestões
Das fantasias.


Fonte: O Homem de Aquário
Sri Maha Krishna Swami

03/06/2012

A MEDITAÇÃO

A meditação é o único caminho que possuímos para eliminar a nossa ignorância espiritual.
A ignorância espiritual é grande nesse planeta e por isso nós, os maha-iogues, nos reunimos a fim de trazer o caminho da autopesquisa.
A autopesquisa espiritual é necessária a todos os homens, porque lhes traz a consciência do divino, a verdade universal, a luz que governa o mundo. Tudo isso deve ser conhecido, sentido, vivido e realizado. Para realizar esta verdade, precisamos eliminar a mente pensante, dissolvê-la no Ser Universal. Devemos despertar a autoconsciência serenando o ego profano ante esta consciência.
É este o caminho direto ensinado pela maha-ioga - esquecer o ego e descobrir o Ser Universal, não como um ser descobrindo o outro, mas pela autoconsciência desse mesmo ser.
Esta consciência é pouco frequente e imperfeita, mas, pouco a pouco e constantemente, ganha força, até que, finalmente, o Ser Universal é alcançado. Por isso, sempre recomendo: deveis esforçar-vos por praticar em lugar de discutir tais assuntos.
Bhagavan Sri Ramana, que, pela graça do Cristo universal, manifestou-se entre nós, dizia:
"Deveis vos esforçar por conseguir experiência e não buscar localiza-la. Um homem não precisa saber onde estão os seus olhos a fim de enxergar. Se quiserdes entrar nele, o coração está sempre aberto para vós, apoiando os vossos movimentos, mesmo quando estiverdes inconscientes disso".
A pós algum tempo de prática de meditação maha-ioga, desperta-se uma corrente de consciência: a consciência do eu interior, no coração, que é o Ser Universal e que nunca é afetado pelo bem, nem pelo mal, nem pela fortuna, doença ou saúde. Esta consciência deve ser desenvolvida através de um esforço constante, aumentando-se a sua frequência, até que ela exerça influência contínua sobre toda a conduta diária. Daí em diante, só basta que se evite a interferência do egoísmo, aprofundando-se, assim, mais e mais, na enorme paz que está além de toda a compreensão terrestre. E isto se fará até que o ego seja consumido, permanecendo para sempre a realização do ser.
A própria essência da meditação determina que não pode haver resposta mental ou verbal, pois o ser interior transcende não só a mente e o ego profano, mas também as palavras. O ego procura o que existe antes de sua origem e além da sua fonte. Mas uma vez encontrada, essa resposta devora o ego.



Fonte: Planeta especial - Maha Ioga A Verdade Universal
Sri Maha Krishna Swami

25/05/2012

A NOSSA MISSÃO

A nossa missão é: revelar a sagrada maha yoga, a grande união universal...
A nossa missão é: ensinar a moral, o trabalho, a verdade, a compaixão, a devoção, a meditação e a submissão ao Cristo universal...
A nossa missão é: eliminar o mistério das coisas. Pregar a morte lenta da mente e do ego profano, que usurpam a realidade do Ser Universal...
A nossa missão é: fazer andar os pés que não andam...
A nossa missão é: despertar o amor eterno para que os amores que não são, realmente sejam...
A nossa missão é: ensinar que a auto-pesquisa é o único meio de conhecer a nossa verdadeira identidade: a divina. Nós somos divinos em essência.
A nossa missão é: ensinar ao mundo a libertação dos terríveis ciclos de nascimentos e m ortes...
A nossa missão é: amansar o coração dos inimigos a acalmar as suas mentes, porque está bem explícito nas nossas escrituras:
"As forças do mal não prevalecerão sobre vós - e sobre vós levantarei o templo universal"
A nossa missão é: chamar com fé a lentidão das idades; unir o céu e a terra e gerar novas consciências e vesti-las de túnicas brancas.



Fonte: Maha-Ioga-A Verdade Universal
Sri Maha Krishna Swami

19/05/2012

AMAR É O SEU MAIOR DEVER.

Quem disse a você que pode odiar? Ninguém tem o direito de odiar nem mesmo a mais insignificante das criaturas que voam pelo céu, nem as que se movimentam na terra ou na água. Amar a si mesmo, conciliar-se com o inimigo e conscientizar-se do DIVINO SER é o seu maior dever.
Lembre-se de que você deve amar, ajudar a todos sem exceção e ver neles a manifestação plena da ESSÊNCIA DIVINA. Deve lembrar também que o crédito de ajudar não é seu. É a ESSÊNCIA DIVINA que lhe dá força para ajudar, pois é ela que age eternamente nos veículos da manifestação.



Fonte: Palavras de Sabedoria
Sri Maha Krishna Swami

11/05/2012

O CAMINHO DIRETO

Quer ser útil?
Basta que você renuncie ao ódio
E vista para sempre o manto do amor,
Que ofereça ajuda a seus semelhantes
Sem esperar recompensa para si próprio.

Ore por seus inimigos e
Aproxime-se dos possessos.
Jamais deixe a sua esperança
Transformar-se em desespero,
Nem a sua alegria em tristeza.
Lembre-se sempre
De que você é o Ser Supremo.

Segundo por segundo
Medite e devocione o som sagrado.
Autopesquise-se,
Corrija suas falhas,
Vigie a si mesmo,
Pois o ego profanador
Está à sua esquerda, à espreita,
Esperando por suas faltas.

Permaneça firme
Nos seus propósitos espirituais.
Deve cumprir seu dharma.
Não cumpri-lo significa
Ir contra os princípios divinos.
Lembre que não se pode ser
Insincero consigo mesmo.
Todo ato insincero
Conduz à desarmonia.



Fonte: O Homem de Aquário
Sri Maha Krishna Swami

29/04/2012

MOMENTOS APOCALÍPTICOS

Ai daqueles Que matam os rios
E que semeiam a desarmonia
No céu e na terra,
Onde os peixes se deterioram
E os pássaros explodem
Em sangue e pólvora.

Ai daqueles
Que desfiguram a paisagem,
Que destroem tudo o que vive,
Que vomitam fumaça negra,
Que arrebatam os seres da Terra
O direito ao ar puro,
À água pura, cristalina,
E o direito ao silêncio.

São semeadores de desertos,
Inconscientes perigosos,
Destruidores de ninhos,
Torturadores de plantas.

Todo mal cairá sobre aqueles
Que transformam a comunidade
Calma e tranquila
Num lugar de desordem e angústia.

Todo mal cairá sobre aqueles
Que poluem o ar,
Que poluem a água,
Que poluem os veículos
De conscientização,
Que destroem o corpo,
O fluir natural da pureza,
O bem de todos,
A paz comum
E o aconchego da comunidade,
A ternura dos campos,
A limpidez das cachoeiras
E o brilho das estrelas.


Fonte: O Homem de Aquário
Sri Maha Krishna Swami

21/04/2012

QUE NUNCA JUREM!

Nunca jurem por nada, nem pelo céu, nem pela terra, nem pelo divino, nem pelas suas cabeças, nem pelos seus pés, nem pelos seus corações. Sejam apenas naturais, pois tudo o que se fala permanece gravado nos ciclos intermináveis do porvir. Não esperem por milagres. Não busquem grandes demonstrações de poderes. Só os de pouca fé precisam ver para crer. Felizes os que têm fé sem nada verem, pois seguem o que lhes indica a intuição pura, e não o que os olhos físicos vêem com seu limitado alcance.



Fonte: Palavras de Sabedoria
Sri Maha Krishna Swami

07/04/2012

MEDITACIÓN INICIÁTICA

P. Cómo vivir en el estado natural de meditación?

R. Concibiendo la idea de meditación en todas las ocasiones del día. Ella continúa procesándose de manera constante. Ese es el verdadero entrenamiento que llevará automáticamente a la concientización del Divino Ser. La meditación no es sólo un ejercicio a ser praticado. En la meditación se recibe una carga de nueva luz y bendición. Cuando se siente el sabor de los frutos de esa práctica espiritual, todas las deficiencias desaparecen , viviéndose así en el estado natural de Ser. La meditación tiene como objetivo eliminar la ignorancia espicitual. Y como la meditación es nuestro estado natural de ser, todos nosotros tenemos la tendencia de repudiar la ignorancia. Mientras tanto, por qué el hombre sufre? Porque comfunfe el Ser Supremo con el ego profano y con la mente pensante. El hecho de que usted haga preguntas sobre el Ser Supremo, sin percibir que usted es el propio Ser, prueba que su meditación todavía no está afianzada y que sus faculdades sensoriales todavía predominan. Con la insistencia en las prácticas espirituales permanecerá el fluir natural se la eterna paz.

Bhagavan Sri Ramana siempre insistió en la disciplina y en la persistencia que se debe tener en las prácticas de la meditación y de la devoción. Aunque nuestro estado natural sea esa misma meditación, la gran mayoría de las personas es inconciente de él, pues surgen muchas obstrucciones en el transcurso de su existencia. La remoción de todo aquello que encubre nuestra verdadera naturaleza exige de quien se propone tal emprendimento mucha paciencia y determinación. La meditación iniciática no es algo nuevo. Ella tiene como base las enseñanzas de Bhuda, Shankaraya, Krishna, Rama, Jesús, Bhagavan Sri Ramana y muchos otros Maestros.


Fonte: Ramana Mi Maestro
Sri Maha Krishna Swami

23/03/2012

CAMINHEM

Caminhem sem se preocupar com os defeitos alheios. Lembrem que é observando os próprios defeitos que se libertam das imperfeições. São as próprias fraquezas que levam os homens a julgarem-se uns aos outros. Os homens serão atendidos. Batam, e o portal supremo será aberto. Aprendam a sentir a lei divina e divulguem os Sagrados Ensinamentos por todo o universo. Amem-se uns aos outros porque são Um em essência. Façam aos outros o que desejariam que lhes fizessem. Encaminhem os homens no caminho da Verdade.


Fonte: Palavras de Sabedoria
Sri Maha Krishna Swami

11/03/2012

RUMO À LUZ




Hoje o céu vestiu-se de dourado.
Tudo foi estrelas:
O mar, as velas, os barcos, as gaivotas.
O dia eternizou-se.

Venha ver as flores da água constelada
E a clave redonda do rápido universo.
Venha tocar o fogo do Sol dourado,
Venha, antes que as pétalas
E os dias se consumam.
Não há aqui senão Luz
E espaços abertos por virtude do vento.

Entre tantos azuis submersos
Perdem-se os nossos olhos adivinhando apenas
Os poderes da sutileza.
A chave da justiça
Está em nossas mãos.



Fonte: O Círculo de Luz
Sri Maha Krishna Swami

03/03/2012

VAMOS PISAR DESCALÇOS a relva de todos os campos



Plante uma árvore, irmão.
E peça a seu irmão que plante outra,
E à namorada dele, outra ainda.

Plante uma árvore, irmã.
E peça a seu esposo que plante outra,
E mais outra pelos prazeres que você lhe dá.
A cada um de seus filhos,
Peça-lhes que também plantem árvores
Pelas contrações de seus nascimentos.

Plante uma árvore, amigo.
E peça aos amigos dos amigos
Que, para cada moça que já olharam,
Que plantem eles também uma árvore.
Peça ainda aos inimigos,
E a cada homem e a cada mulher,
Que plantem uma árvore
Por todas as maldades que praticaram,
E mais outra, pelas boas obras que conseguiram.

Depois, reúnam-se todos
E convoquem quantas pessoas puderem,
Quantas pessoas quiserem
E saiam pelo mundo
Cobrando da humanidade
As vidas que ela roubou do universo.

No coração da natureza está a pulsação rítmica e silenciosa, que os homens poderão sentir ao se aproximarem dela com a mente controlada e, vazios de si mesmos, poderão entrar em comunhão com ela e se beneficiarem de sua força. Desfrutarão de sua benevolência sem agredi-la nem destruí-la, e todo o esforço que hoje fazem para preservá-la não será necessário, pois ela não será mais destruída.


Fonte: O Círculo de Luz
Sri Maha Krishna Swami

17/02/2012

CONTINUAÇÃO

Muitos nascerão outra vez
Nas manhãs mal despertas
Para colorir em séculos
A fuga do cotidiano.
Nascerão outra vez nos seres
Sem amor.
Para enfeitar na morte física
Toda continuação.

Formarão em brancas estradas
O limite de despedidas.
Darão às madrugadas a cor
De sangue não chorado.
Nascerão outra vez na noite
silenciosa para sonhar
Luas inexistentes.
Acenar mãos vazias
Para o eterno.



Fonte: Planeta especial
Sri Maha Krishna Swami.

10/02/2012

ENSINAMENTOS INICIÁTICOS

Sempre que aparece um homem que só tem segurança e confiança no divino e nas virtudes, causa um abalo nas instituições ortodoxas que usam a ignorância espiritual da grande massa como segurança para se manterem nas tradições e padrões decadentes, que em nada colaboram para a conscientização espiritual da humanidade. Apesar de todas as espécies de ignorância, aparecem aqueles que exploram os crédulos, assim como quando o limento está difícil de ser conseguido ainda o cobram mais caro.

Em quem está consciente da Verdade a mentira não entra. Se estamos no que realmente somos, no Ser, ninguém nos pode atingir, enganar-nos. Essa é a vantagem de se estar consciente do divino. Por isso Sri Budha ensinava que "feliz é o acordado que não dorme". Se estamos acordados, isto é, conscientes do divino, nada de mal nos acontece.
Ninguém nos pode vender ideias estranhas, como a de rezar por nós. Nós mesmos temos que devocionar, meditar, elaborar-nos e tornar-nos conscientes do divino. Esse é todo o processo no caminho espiritual.

"Não olheis para trás. Não vos detenhais no sulco do vosso arado. Deixai que os mortos enterrem seus mortos. Sou o Deus vivo." Isso significa que não se deve deter com aqueles que não querem entrar no caminho espiritual. Muitas pessoas insistem, às vezes, em ajudar alguém que não quer ser ajudado. Quem está inconsciente da Verdade Suprema e insiste em continuar assim é um morto. Como se ajuda entre si, no sentido de que um concorda com o outro na ignorância espiritual, que um enterre o outro. "Não vos detenhais no sulco do arado." O arado é o instrumento do semeador. O semeador deve ir para a frente. Deve preparar a terra e semear, e deixar que os mortos enterrem seus mortos. O ignorante que se junte aos ignorantes. Mas não precisamos ser ignorantes. Não somos obrigados a isso. Sofrem quem quer sofrer. A libertação está presente todo o tempo nos livros sagrados e na presença dos Mestres que vêm à Terra.




Fonte: SER
Sri Maha Krishna Swami

03/02/2012

DEIXA ESPALHAR A MINHA PAZ

Retira do sono
As estórias das vidas
Acontecidas.
Deixa o vento espelhar
A minha paz
Sobre os humanos
Amanhecidos...
Repousa na
Própria fadiga
O torpor dos dias
Acontecidos.
A paz esmaga a solidão.
A noite desenha mistérios
E faz inevitável
O desejo de autolibertação.
Tenho infinidades
De olhos fixos e todos
Dirigem-se à
Eterna distância.
Pedaços de água
Envolve as formas dormidas.
É o querer de toda a
Essência...
Retira do sono
As estórias das vidas
Acontecidas.
Deixa a luz germinar
O inestinguível silêncio
Nas fontes adormecidas...
Semeio sabedorias que
Correm em mim...
Fundindo o sangue e as estrelas.
Acordo semiluzes
Que habitam em olhos vividos.
Ilumino memórias tardias
E séculos vazados de trevas.
Retira do sono
As estórias das vidas
Acontecidas.




Fonte: Planeta especial
Sri Maha Krishna Suami.

28/01/2012

A FORÇA DIVINA DOS CENTROS ETÉRICOS

Quero falar nesse capítulo sobre os centros etéricos.
Os cientistas de hoje começam a compreender a importância da cadeia endócrina e já sabem que, do seu bom funcionamento e das secreções de suas glândulas, dependem a vida e a inteligência do ser humano.

O sistema etérico é, do mesmo modo, importante para o seu aperfeiçoamento sutil. Na linguagem universal da maha-ioga, utilizam-se expressões tais como: o discípulo está ouvindo um zumbido sagrado, está vendo sete mundos, banhando-se em sete rios. Tudo isso quer dizer que ele despertou a divina força kundalini. Acordou para os sete planos de consciência. Dou estes termos para que se possa entendê-los, quando forem encontrados.

Agora quero revelar algo sobre o método usado, na Índia, pela maha-ioga, para despertar a divina força kundalini.
Quando se considera que um aspirante pode fazê-lo, ensina-se a ele, além de uma respiração especial, a sentar-se, dia após dia, com a espinha ereta, concentrando-se e dirigindo o olhar interno aos centros etéricos indicados pelo mestre. Ele não deve ter outro pensamento em sua mente do que a identificação com estes centros e sua divindade.
Na Índia, este despertar é, frequentemente,
simbolizado por um elefante branco de sete trombas; muitas vezes ele é montado pela deusa Kali. Encontramos, também, imagem desta deusa montando uma serpente. Kali simboliza a força destrutiva e isso significa que o acordar de kudalini, quando mal orientado, desperta poderes que podem tornar-se destruidores. Assim sendo, é muito importante que os pensamentos, os desejos de um aspirante, sejam livres de impurezas, não durante, apenas, a meditação, mas em toda sua vida diária. Só o mais puro, o mais elevado deve encontrar lugar em sua mente. Nenhum desejo inferior ou pensamento de crítica injusta deve ser alimentado. Se ele despertar a força etérica, sem ter intenções elevadas, por meio de uma meditação errada, ou tendo pensamentos ou desejos impuros, tornar-se-á logo um seguidor de Kali-serpente. Então, a força, subindo, poderá causar desequilíbrios metais, doenças físicas ou outras consequências nefastas. Já falei do despertar harmonioso dos centros etéricos que leva o ser humano a perfeição. Devo fazer menção, também, sobre os perigos que podem resultar de uma subida prematura do kundalini, especialmente hoje em dia, quando, no mundo ocidental, há muitos pseudo-instrutores, que preconizam o despertar das forças psíquicas. Estes instrutores iludem seus eventuais seguidores com maravilhosas descobertas dos mundos invisíveis, podendo, assim, conduzi-los a um período de sofrimento e trevas.
Com a orientação de um verdadeiro mestre, o discípulo, prosseguindo em suas práticas, vivifica a divina força kundalini até a altura renal. Aqui se encontra uma outra força suprema que, no Oriente, é, às vezes, simbolizada por uma estrela de seis pontas, de luminosa cor amarela.
Os maha-iogues dizem que a luz que projeta este centro, quando desperto, é como a luz de 6 milhões de sóis; sua força é chamada de relâmpago do espírito. É uma corrente elétrica que age sobre o corpo inteiro. Quando esse centro etérico se torna ativo, o ser humano pode transcender, conscientemente, o corpo físico, a mente pensante e os sentidos de percepção. Neste estágio, como já alertei antes, muita cautela é necessária, pois o aspirante perceberá, daí em diante, que o caminho se desdobra e dois mundo podem ser vistos. É aqui que aprenderá a discernir a verdade. O discípulo deverá aprender a manter-se firmemente no meio, pois, se no mundo sutil, ele se deixar levar de lá para cá pelas influências que aí encontra, virá a ser deturpador da luz etérica. Em outras palavras, o ser humano que deturpou este centro reflete, já os dois lados, mas não pode ser considerado vidente seguro enquanto não aprender a ver e a sentir a verdade do meio.
A divina força, continuando chega ao plexo solar. Aqui, a consciência psíquica e espiritual começa a despertar e, à medida que cada pétala se abre, ouvimos o curioso som, semelhante ao zumbido de abelhas distantes, ou a um sino longínquo. O discípulo que chegou a este estágio deve treinar sua intuição pura, para que fique receptivo às instruções do mestre. Ele poderá sentir, aqui, um influxo de poder, logo imaginando que atingiu o grau de iniciado. Então, mais do que nunca, precisará de vigilância para que seu orgulho não o perca. A voz do seu eu inferior, revestindo-se com esse orgulho, poderá assumir o lugar do mestre e conduzi-lo à destruição. Deverá sempre lembrar que, quando o homem imagina que atingiu o máximo no caminho da perfeição, é que está em perigo de tudo perder. Pela meditação, que é um sentir sobre o centro onde se reflete a eterna consciência do cosmo no lado direito do peito, o ser humano pode entrar em contato com seu criador. Despertando este divino centro, o discípulo torna-se capaz de transcender a matéria e alcançar os mundos etéricos, onde poderá absorver a sabedoria, o que lhe permitirá transmitir paz e harmonia aos seus semelhantes. Na contraparte etérica deste centro, há sete planos, cada um possuindo a sua divindade. No Oriente, diz-se que cada centro etérico tem o seu "deva" ou guardião, pois há o caminho da mão direita e o da mão esquerda. Assim, na senda da esquerda, está o "deva" do lado inferior do centro etérico e, na direita, seu guardião celestial. De acordo com a qualidade dos seus desejos, o ser humano é atraído por um ou por outro lado.





Fonte: Planeta Especial
Sri Maha Krishna Swami

21/01/2012

MANTRA INICIÁTICO

Todo mantra
E todo nome sagrado
Provém do Ser Supremo.
Através de seu poder,
Estimula o homem
A livrar-se, gradualmente,
Do ego profanador
E conscientizar-se
Do Ser Supremo.

Quando se afina
Com o ritmo do mantra,
A atenção é fixada
No sublime som
Que é produzido
Pela sua repetição.
O mantra é, por si mesmo,
Um caminho espiritual.
Somente através
Desse som sagrado
Entra-se
Em meditação profunda,
E, só por meio dela,
É possível conscientizar-se
Do divino.




Fonte: Maha Gita purusham do Bem-aventurado
Sri Maha Krishna Swami

14/01/2012

DUPLO ETÉRICO




O duplo etérico não é exclusivo dos seres humanos. Ele é uma energia que pode ser vista facilmente, até mesmo através de uma máquina, no chamado "efeito Kirlian". Duplo etérico não é aura. Aura a pessoa não vê, a não ser que ela tenha despertado o estado de consciência espiritual. A aura é também um veículo de autoconscientização. Só os Mestres treinados a sentir e intuir é que podem vê-la. Outra pessoa vê, no máximo, algo que é uma ilusão de ótica. Muitos vêem uma luminosidade nas tumbas, nos cemitérios. É o duplo etérico desprendendo do corpo. Eles pensam que é a alma da pessoa, uma luz, e na verdade é o duplo etérico e nada mais.

O duplo etérico é um elo que existe entre o corpo astral e a aura da saúde. Quando o Mestre aconselha ao discípulo utilizar-se da naturopatia, mesmo que ele não esteja sentindo nada fisicamente, é porque viu alguma mancha nessa aura da saúde, relacionada a algum órgão que ficará doente. Então desaparece a mancha e o perigo da doença. Atrás da aura da saúde existe a aura espiritual. Todos esses veículos estão presentes na manifestação.

Temos constantemente o duplo etérico, e o sentimos como uma energia.Quando dormimos ele se afasta e quando meditamos essa energia deve ser afastada totalmente. Caso contrário podemos estar com inquietação, teremos todos os pensamentos ativados e a meditação não será profunda nem verdadeira. O duplo etérico pode ser afastado conscientemente quando se medita, e quando se está profundamente em meditação, em paz, em completo relaxamento, o duplo etérico afasta-se totalmente. Então a respiração se reduz ao mínimo. Isso significa que sem a energia Kundalini pode-se meditar, e nesse momento os chacras estão todos abertos. Eles brilham e se abrem como pétalas. Eles giram em círculos concêntricos, não só numa direção, mas em vários pontos. Deslocam-se para frente, para trás, para os lados.

Além do duplo etérico existe a matriz, isto é, o corpo astral, do qual o corpo físico é uma cópia. Todos são veículos de conscientização espiritual. Alguns textos primários de Yoga dizem que possuímos sete corpos. Mas podemos possuir mil deles. Não importa o número de corpos, de chacras, de auras, de pétalas. Tudo isso é manifestação ainda. E nesses corpos, chacras e auras se reflete o divino sempre. Não somos os chacras, os vários corpos, nem o micro nem o macrocosmo. Somos o Ser que manifesta tudo isso.

Nós podemos ver, analisar, sentir e até usar essas forças. Qualquer cientista pouco visado utiliza a energia do átomo e cria uma bomba atômica. Isso quer dizer que não há nada de divino na matéria. É uma energia simplesmente. O homem mesmo que manipula essas energias não percebe que é ele mesmo quem vê e não é visto pela matéria. O homem está hipnotizado pela matéria. Aquele que vê essas coisas e se apega a elas é como se estivesse em estúdios cinematográficos, apegando-se às imagens dos filmes. É ilusório.

O divino não habita na matéria, mas ele se reflete em todos os veículos manifestados.Nós somos esse divino e não os veículos manifestados. Esse é um ensinamento total e supremo da Maha Yoga. Incontestável. Por mais yugas que aconteçam, por mais humanidades que apareçam e desapareção e sistemas diferentes que se manifestem e se desmanifestem, esse ensinamento nunca será modificado.



Fonte: SER
Sri Maha Krishna Swami

08/01/2012

É PRECISO EMANCIPAR-SE

Queimará o incenso que sua benevolência há de produzir, para perfumar sua meditação, que julga ser a mais sagrada de todas as forças. Tanto mais sagrada quanto mais se multiplicarem os sons supremos de seus bhaktis em você mesmo. Porém mais tarde terá que demolir o seu templo, pedra por pedra. Então sentirá a unidade de tudo e que não há mal que o ameace nem bem que o seduza. E assim estará cruzando os portais da Plenitude Suprema.




Fonte: SER
Sri Maha Krishna Swami