20/05/2017

Meditação Iniciática

O método indicado por Sri Ramana é a prática da meditação. Ela se constitui num treinamento para que sintamos profundamente e cada vez mais nossa verdadeira essência. Bhagavan Sri Ramana recomendava que meditássemos diariamente, sentindo o lado direito do peito, ao qual ele chamou o centro da caverna-coração, onde se reflete a eterna consciência do cosmo. O centro da caverna-coração é o lugar de onde surge toda a procura da Luz. A Luz da consciência flui dele para o cérebro e depois para o corpo inteiro.

PERGUNTA: Como você pode dizer que o coração fica à direita, quando os biólogos o localizam à esquerda? 

RAMANA: Eles têm razão. O coração físico é à esquerda. Mas o coração do qual falo não é o físico, e ele se localiza no lado direito do peito. Aqueles que são conscientes da verdade de ser têm experiência direta desse fato e não precisam que ninguém lhes confirme. Não parei de repetir que o centro do coração é no lado direito, apesar das afirmações contrárias de pessoas eruditas que baseiam seus conceitos na fisiologia do ego denso. A estável e firme permanência na essência divina se chama estado natural de meditação, no qual a mente, corpo e sentidos estão completamente absorvidos. O universo inteiro está resumido no corpo, e o corpo todo, no centro da caverna-coração. Logo, o centro do coração é a súmula de todo o universo. O centro da caverna-coração, no microcosmo, é a esfera do Sol no macrocosmo, e a mente no cérebro é como o orbe da Lua. Inconsciente do centro da caverna-coração, o homem percebe apenas a mente, assim como ele vê a luz da Lua, à noite, quando o Sol está ausente. Não se apercebendo do próprio centro da caverna-coração, como a verdadeira fonte de luz, a pessoa ignorante das leis divinas vê os objetos com a mente, como sendo separada entre si, e é enganada. Quem permanece sempre identificado com o centro da caverna-coração vê a luz da mente submergida na luz desse centro justamente como a luz do Sol durante o dia. Os sábios explicam que a mente é o indicador do conhecimento e que o centro da caverna-coração é o próprio conhecimento indicado. O Supremo não é senão o centro da caverna-coração. O sentido de diferença entre o sujeito e o objeto está apenas na mente.



Fonte: livro - Ramana meu Mestre
                       Sri Maha Krishna Swami